terça-feira, 27 de agosto de 2013

DELÍRIO - Lauren Oliver


"Devemos estar sempre em guarda contra a doença; a saúde de nossa nação, de nosso povo, de nossas famílias e de nossas mentes depende de vigilância constante.
'Medidas básicas de saúde', Shhh, 12ª edição."

Delírio é o primeiro livro de uma trilogia distópica onde o amor é considerado uma doença. Há pouco mais de meio século no futuro, o governo identificou o amor como a doença mais perigosa de todas: causadora de guerras, conflitos, mortes, loucura etc. E há alguns anos, cientistas encontraram a cura para ela. Para manter a segurança da população e harmonia no meio social, a doença deve ser erradicada. Ao completar 18 anos - que é a idade mais propensa para que não haja falhas no processo - todos devem passar por uma Intervenção.

A história se passa em Portland, nos Estados Unidos e é contada do ponto de vista da personagem Lena Haloway. Ela tem 17 anos, mora com os tios e primos e está contando os dias para que seu décimo-oitavo aniversário chegue. O passado de Lena é assombrado pela doença. Sua irmã foi infectada pelo deliria mas conseguiu passar pela Intervenção tranquilamente e hoje tem uma vida perfeita. Já sua mãe não. Quando Lena ainda era criança, viu a mãe passar por várias Intervenções até que a doença finalmente a matou. A perda da figura materna para o amor deliria nervosa a assombra dia e noite e Lena mal pode esperar pelo dia em que estará imune aos perigos do deliria.

Até que finalmente chega o dia em que Lena é infectada.


"Se tem medo de que você ou alguém conhecido tenha contraído delíria, por favor, ligue para o telefone de emergência gratuito 0800-PREVENCAO para discutir a internação imediata e o tratamento." 

Título: Delírio
Autor: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas:
Minha avaliação:
Delírio é aquele livro que conheci quando a edição brasileira estava prestes a ser lançada. Fiquei sabendo do que se tratava o enredo e me interessei imediatamente. Porém havia uma coisa que me incomodava extremamente: a capa.

Sim, sou do tipo de pessoa que julga pela capa (acho que já disse isso várias vezes). Pra um garoto, o acabamento brilhoso da capa de Delírio é desanimador. Ok, vamos usar o palavreado correto: a capa é broxante. Depois de um ano, já com o segundo volume lançado aqui, e uma amiga dizendo que 'era legal, mas não gostei tanto assim' eu pensei "Quer saber, vou deixar esse preconceito besta de lado e comprar pra ver se é bom!"

O resultado vocês já podem imaginar. Me brota uma lágrima em pensar que este é mais um pra pilha de "Livros Que Não Li Antes Porque Não Gostei Da Capa e/ou Me Disseram Que Não É Tão Bom". Se eu tenho mesmo uma pilha de livros assim? É claro que não, mas me prevejo tendo uma.

— Mas, e aí, Allison, você gostou ou não?  me perguntam.
— Não, não gostei  respondo sarcasticamente. — Eu amei!
 Cansados de ler várias postagens onde escrevo dizendo que amei tais livros que li, reviram os olhos. 
— Ah, cadê a novidade? Você simplesmente não se cansa de dizer que amou tudo?
— Shhhhhhhh! — corto a conversa.

Foto: © 2010 Jonathan Alpeyrie 
Lauren Oliver ou é uma mulher doente, ou uma mulher genial. Talvez ela seja doente e genial. O mundo de Delírio é tão bem construído que me dá até inveja da loucura dela a ponto de criar esse mundo.

Harry Potter foi a série que, basicamente, me ensinou a ler, foi a série que me fez gostar de pegar um livro e mergulhar nas páginas de uma história desconhecida. E nos livros de Rowling, a principal moral da narrativa é a importância do amor: que sem amor ninguém vive; amor é altruísmo; amor é sacrifício. Com isso na cabeça, você olha pra Delírio e pensa "Como que alguém pode viver sem amor? Isso é loucura!". E, olha, é mesmo.

Eu não esperava que me envolveria tão facilmente com essa 'sociedade anti-amor'. Havia partes em que era como se eu fosse um personagem fantasma ali seguindo Lena pra todos os lados, compartilhando da mesma ideia de que só estaria seguro quando passasse pela Intervenção. Até na hora que ela foi 'infectada', eu senti como se fosse uma coisa errada. Inclusive, quero meu exemplar da Shhh! E aos poucos, quando Lena percebe o que realmente é o amor, a gente aprende junto tudo que há pra aprender.

Há um desenvolvimento enorme da personagem principal e é incrível acompanhar isso durante o desenrolar da trama. Eu seria um tolo se não concordasse com as outras pessoas que diziam que a escrita de Oliver "chega a ser poética". A narração é maravilhosa, os personagens são super interessantes e o enredo é perfeitamente costurado.

"Seres humanos, em seu estado natural, são imprevisíveis, instáveis e infelizes. Somente quando seus instintos animais são controlados eles podem ser responsáveis, confiáveis e satisfeitos.
— Shhh, p. 31."
 

9 comentários:

  1. Taí mais um livro que não olhei duas vezes por causa da capa e pensei "Deve ser ruim", mas agora que sei a sinopse e seu entusiasmo com o livro tenho interesse em ler. Só me faltas dinheiros pra comprar o livro, né, que vida difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UHU! Leia e vamos surtar sobre ele! \o/ aiunsdicsbkchbzfs
      Essa capa é uó pra quem vê assim...

      Excluir
  2. Eu vou te processar por tentar me levar a falência, sério todo livro que você resenha eu quero comprar. heuwheuwehuhehe
    Eu te indiquei numa tag passa lá e dá uma olhadinha:
    http://entreversoseparagrafos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHHAHHAHHA, inocente das acusações! Leia Delírio. É tão <3

      Já fiz a tag, Néury! Muito obrigado pela indicação ^^

      Excluir
  3. ESTAVA ASSISTINDO SUA RESENHA SOBRE A ELITE NO YOU TUBE.A VIR SEU SITE, E ASSISTIR SUA RESENHA SOBRE DELIRIO ADOREI.COM CERTEZ VOU LER.AJA DINHEIRO.

    ResponderExcluir
  4. Comigo foi ao contrário ,comecei a ler por que amei a capa ,só que eu amo distopias e as personagens distópicas que eu estou acostumada Tris ,Katniss e etc .. já são revoltadas e a Lena não ,ela começa o livro achando que o amor é errado e tal.. parei de ler no meio por que achei ela irritante ,voltei a ler e terminei ontem estou apaixonada me considerando uma infectada e inválida rs .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só comecei a gostar da capa depois que li. HAHAH
      Siim, a estória da Lena é incrível porque a gente acompanha a mudança que ela tem durante a narração! Apesar de irritante, isso se torna uma das coisas mais legais! iauhsiuahs também ainda me sinto um inválido xD

      Excluir
  5. Amo suas resenhas, seus videos haha meu ponto de vista e gostos são muito parecidos com os seus, estava fazendo a resenha sobre este livro e passei em alguns blogs para ver a opinião dos autores e quando li o seu pensei "pera, sou eu ai?" hahaha!

    sucesso com o blog e boas leituras :)

    http://jessicagumiero.blogspot.jp/

    ResponderExcluir